quarta-feira, janeiro 18, 2006

Em olhos de gato

"Não me matem,
sem ter reconhecimento...
nem me sufoquem
nas garras do esquecimento!
Posso ainda pedir
pra que me conduzam?
Só lhes peço, amigos meus,
não me traduzam!"

3 comentários:

Guss disse...

Adorei a poema. E so em pensar que eu fiz parte do processo de criação. Que honra!


B jus

Fedô disse...

agora num entendi...essa foi direcionado pra alguem?

TE AMO

=**

Carolina salcides disse...

Não me matem,
sem ter reconhecimento...
nem me sufoquem
nas garras do esquecimento!
Posso ainda pedir
pra que me conduzam?
Só lhes peço, amigos meus,
não me traduzam!"


Rúbia que belezas escreves...
Tão sincera,segura e certeira.

Amiga poeta,não precisamos traduzí-las,suas palavras falam por si próprias...

Seremos parceirasno Mosaico então?!
Que maravilha ter uma poesia sua nolivro.
Parabéns, abraços, Carolina