sábado, outubro 08, 2005

Luz, Saudade e Disritmia

"No meu dia mais comprido e mais Van Gogh,
um sopro chega e a água respira,
o mar vira plástico e o sol refugia
e o céu baila em valsas sabor pão-de-ló

Fui dançada na paisagem de Monet,
pra saber logo então que meu chão é mais vivo
pra ouvir qualquer flor me cantar em assobio
e uma pedra achada no chão reviver

todo dia vou morar nessas pinturas
onde o tempo não hesita em demorar
vou achar beleza em cada cinza-rua

Me encontrei na personalidade Brisa
e desatei o nó do mapa do tesouro
minha vida está no lado C da fita."

Um comentário:

Charles disse...

Agora eu fico pensando: quase nao e possivel q eu esteja na mesma cidade que vc. quase nao é tudo. ah se a sindrome de estolcomo "funcionasse "em todo mundo. Eu queria voar como o vento. Luz, saudade e disritmia, se vc mora nestes versos eu decubro o lado C da fita.