terça-feira, julho 12, 2011

Manifesto d'água

Meus amores, meus muitos corações
rasgados e remendados
ao longo dos anos desdobrados que vivi
me fizeram quem sou: alma exposta em carne viva,
pausa de partitura, flor comestível.

Eu sou para dizer as caras que o amor veste,
pra escancarar o passo-a-passo do querer bem
e ridicularizar o medo infundado de se apaixonar.
Tudo que eu vi,
os lugares onde deixei parte de mim
e as loucuras sãs que experimentei,
cada fotografia recortada e cada linha escrita,
cada minúcia de existência, cada vão,
tudo disso foi parte do meu treinamento.

Que o que eu mais posso ensinar nessa vida
é do que é feito o amor.

Um comentário:

augusto meneghin disse...

olá, rubia. obrigado pelo comentário no blog. sempre um prazer saber que outras pessoas estão apreciando minha arte.
verei com calma seu blog. mantenhamos contato.
um beijo.